Ouro cai pela 3ª sessão seguida e acumula queda de mais de 4% na semana


Metal segue pressionado pelo movimento de recuperação do dólar O ouro fechou em queda pela terceira sessão consecutiva e pela segunda vez nesta semana que as perdas diárias superaram 2%, levando o metal a cair aproximadamente 4,5% desde a última segunda-feira. Os preços dos contratos para dezembro caíram 2,05% na jornada desta quarta-feira, a US$ 1.868,40 a onça-troy, o menor patamar desde 22 de julho, segundo dados da FacSet.

O metal segue pressionado pelo movimento de recuperação do dólar, que no momento tem atraído mais os investidores do que o ouro na hora de buscar segurança em dias de aversão ao risco. O índice DXY tem se movimentado na direção contrária do ouro e está na máxima de dois meses, subindo 0,22%, a 94,195.

“A força do dólar está prejudicando a capacidade do ouro de ficar acima de US$ 1.900, embora, como em colapsos anteriores, as quedas sejam incentivadas por uma demanda substancial da comunidade financeira por dinheiro real. A demanda no varejo desacelerou, fornecendo interrupções em cascata”, afirmou em nota a clientes o estrategista-chefe da AxiCorp, Stephen Innes, destacando que no momento há uma menor demanda pela commodity na China e na Índia.

Segundo analistas, embora os fundamentos de longo prazo sejam favoráveis ao ouro diante da incerteza à economia gerada pelo aumento de casos da covid-19 e a continuidade da política monetária flexível dos bancos centrais, o metal perdeu seu momento no curto prazo e pode cair ainda mais antes de tomar novo impulso.

No ano, o ouro ainda acumula alta de 20%, embora anote queda de mais de 5% no mês de setembro até o momento.

Paul Taggart/Bloomberg

Áreas de Atuação

Linhas de Pesquisa

Portal de Ensino

Projetos

Produção Acadêmica

Entre em contato

Av. Bandeirantes, 3900 - Sala 03
Monte Alegre - CEP 14040-905
Ribeirão Preto - SP / Brasil
FEA-RP / USP

+55 (16) 3602-0503

[email protected]

Mídias sociais

Acesse nossa newsletter: