Desemprego

Taxa de desemprego em novembro fica em 4,8%, leve alta no mês e em um ano

  Taxa de desemprego em novembro fica em 4,8%, leve alta no mês e em um ano A taxa de desemprego no Brasil em novembro ficou em 4,8%, com uma leve alta em relação ao mês anterior (4,7%) e na comparação com o mesmo período do ano passado (4,6%). O resultado é considerado estável pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Os dados foram divulgados pelo instituto nesta sexta-feira (19) e fazem parte da PME (Pesquisa Mensal de Emprego). Em novembro de 2013, a taxa de desemprego foi de 4,6%, a menor desde o início da série, em 2002. Em outubro deste ano, a taxa registrada foi de 4,7%, a menor para o mês desde quando a série começou. A PME é baseada nos dados das regiões metropolitanas de Recife (PE), Belo Horizonte (MG), São Paulo (SP), Salvador (BA), Rio de Janeiro (RJ) e Porto Alegre (RS). Salvador tem maior variação no mês Salvador foi a região que teve a maior variação no desemprego na comparação com outubro, com aumento de 1,1 ponto percentual, chegando a 9,6%. As demais regiões mostraram estabilidade. Em relação a novembro do ano passado, a taxa subiu 1,6 ponto percentual em Porto Alegre, ficando em 4,2%, e 1,4 ponto percentual em Salvador, chegando a 9,6%. A população desocupada total em novembro foi estimada em 1,2 milhão de pessoas e a ocupada, em 23,4 milhões. Segundo o IBGE, os números não tiveram variação estatisticamente relevante em comparação com outubro, nem com novembro de 2013.  O número de trabalhadores com carteira assinada no setor privado também ficou estável nas duas comparações, chegando a 11,8 milhões de pessoas. Rendimento médio cai em três regiões na comparação anual O rendimento médio real dos trabalhadores foi estimado em R$ 2.148,50, crescendo 0,7% na comparação com o mês anterior e 2,7% em relação a novembro de 2013. Na comparação regional, três áreas analisadas pelo IBGE tiveram queda no rendimento: Recife (-1,4%), Salvador (-2,4%) e Belo Horizonte (-2,7%). Em São Paulo o rendimento cresceu 2,6% e em Porto Alegre, 0,8%. O Rio de Janeiro não registrou mudança. Na comparação com novembro de 2013, todas as regiões mostraram aumento no rendimento médio, com exceção de Belo Horizonte, que permaneceu estável. Os maiores aumentos foram registrados em Salvador (7,5%) e Rio de Janeiro (4,3%). Pesquisa vai deixar de existir O IBGE deve parar de realizar essa pesquisa em 2015. Ela tem abrangência restrita e vai ser substituída pela Pnad Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua), que é trimestral e leva em conta dados de 211.344 domicílios particulares permanentes distribuídos em cerca de 3.500 municípios. Na última Pnad Contínua divulgada, com dados do 3º trimestre de 2014, a taxa de desemprego registrada foi de 6,8%. Foram divulgadas cinco Pnad Contínua até agora. A primeira com dados do 1° trimestre de 2012 ao 2° trimestre de 2013; a segunda relativa ao 3º e 4º trimestres de 2013; a terceira referente ao 1º trimestre de 2014, a quarta ao 2º trimestre, e a última, com dados do terceiro trimestre de 2014.

Áreas de Atuação

Linhas de Pesquisa

Portal de Ensino

Projetos

Produção Acadêmica

Últimos blogs

14/08/2017 - 20:19
Valor Econômico - Legislação e Tributos
14/08/2017 - 20:09
Valor Econômico - Legislação e Tributos
14/08/2017 - 05:17
Valor Econômico - Legislação e Tributos
14/08/2017 - 05:02
Valor Econômico - Legislação e Tributos

Entre em contato

Av. Bandeirantes, 3900 - Sala 03
Monte Alegre - CEP 14040-905
Ribeirão Preto - SP / Brasil
FEA-RP / USP

+55 (16) 3602-0503

[email protected]

Mídias sociais

Acesse nossa newsletter: