Últimos blogs

Morning Call Safra – Bolsa fecha em queda em dia de muita instabilidade

Presidente do Fed disse que se a economia dos Estados Unidos continuar dando sinais de força, a autoridade continuará a elevar os juros No Morning Call desta quarta-feira, 8 de fevereiro, falamos sobre a ata do Copom, que indicou um período mais longo de manutenção da Selic em um patamar restritivo. Também destacamos o discurso de Jerome Poweel, presidente do Fed, o banco central dos EUA. Quer receber o Morning Call do Safra, análises de ações e outros conteúdos exclusivos? Faça parte do canal do Safra no Telegram. Gostou deste conteúdo? Responda o chat abaixo e nos ajude na missão de produzir conteúdo sempre útil para você. Leva 30 segundos.

Nova etapa na tributação da receita financeira - PIS/Cofins

Nas guerras de natureza fiscal, a primeira vítima é sempre o contribuinte No meu primeiro artigo deste ano, tratei de “uma outra guerra fiscal”, cujos contendores eram o governo federal anterior (sainte) e o governo federal atual (entrante) . O teatro de guerra: alíquota da incidência de PIS/Cofins sobre receita financeira. Essa outra disputa tem novas batalhas, mas, ao fim e ao cabo, em qualquer guerra de natureza fiscal, a primeira vítima é sempre o contribuinte. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro.

O que faço se sinto que não aprendo nada no meu trabalho?

A colunista Karin Parodi aconselha leitora que se sente estagnada no atual emprego e não consegue ajuda do chefe para melhorar a situação >> Envie sua pergunta, acompanhada de seu cargo e sua idade, para: [email protected] "Estou trabalhando numa área onde inicialmente era somente meu chefe e eu. Hoje contratamos mais duas pessoas e elas possuem o mesmo cargo que tenho. Porém, como estamos 100% de home office, nossas reuniões são sempre online. Trabalhamos com gestão de projetos e temos diversas reuniões com os times dos projetos, mas me sinto totalmente assistida, pois meu time sempre participa das minhas reuniões, e nunca vejo atuação de ninguém, ou seja, trabalho sem referência, de acordo com o meu conhecimento. Sinto que todos podem fazer uma análise das minhas reuniões e não tenho essa possibilidade de ser ouvinte e aprender coisas novas. Conversei com meu chefe sobre isso, mas ele não deu muita importância. O que faço nessa situação?" Analista de projetos, 36 anos Como lidar com pessoas negativas no trabalho? Como comunicar ao meu chefe que vou mudar de emprego? Como dizer não para tarefas extras no trabalho? Você mostra consciência e compromisso com teu desenvolvimento - competências altamente valorizadas em qualquer organização. O autodesenvolvimento, pauta-se por assumir o protagonismo pelo nosso processo evolutivo. Significa buscar tempo e recursos para que possamos melhorar nos aspectos profissional e pessoal. Sem dúvida, quem procura se autodesenvolver tem como resultado o crescimento emocional, mental, social, espiritual e físico, além do profissional. Pessoas que buscam isso são abertas a novas experiências e não se incomodam em mudar seus conceitos e percepções sobre determinado assunto. Segundo colunista, o profissional que deseja crescer na carreira deve buscar o autoconhecimento e praticar o lifelong learning Pexels Quem cuida do autodesenvolvimento aumenta em muito as oportunidades de construir uma carreira promissora.  Por isso a pergunta é: o que ganhamos quando estamos rodeados de colegas de trabalho sem perspectiva, profundidade, protagonismo e sem interesse em trocar com os demais? A maioria não tem consciência que esse comportamento as leva a perder boas oportunidades, limitando o crescimento na carreira. E isso tem tudo a ver com o protagonismo corporativo, que é a habilidade de assumir riscos e responsabilidades que ajudam a construir a marca pessoal. A forma com que aprendemos e nos desenvolvemos na carreira, está baseada em alguns pilares. Você já ouviu falar em 70/20/10? Na década de 1990, os professores Morgan McCall, Robert Eichinger e Michael Lombardo, do Center for Creative Leadership, na Carolina do Norte (EUA), desenvolveram este modelo de aprendizagem. O estudo resultou na percepção de que a expansão da aprendizagem e o estímulo às novas experiências se dão por meio de diversas situações que motivam os profissionais, pois inclui diferentes maneiras de aprendermos, crescermos e nos realizarmos. Segundo os professores, 70% do nosso aprendizado se dá por meio da aprendizagem “on the job”, ou seja, no dia a dia do trabalho, experimentando desafios, problemas a serem resolvidos, novas metodologias, técnicas que mesclam a rotina e novos projetos. É neste cenário que o profissional se diferencia de outro que atua na mesma área. Falo de variedade de projetos, envergadura e complexidade que fazem com que os profissionais se destaquem. Já os outros 20% do desenvolvimento de nossas carreiras são o resultado da troca com colegas em conversas informais, técnicas, processos e novas ideias não só com pares, mas também com superiores. Os 10% restantes, por sua vez, correspondem ao aprendizado adquirido por meio de treinamentos, participação em congressos, seminários, workshops e cursos, leituras, podcasts, filmes e grupos de interesse nas redes sociais. Então, se 70% do nosso desenvolvimento é fazendo, também acontece ensinando. A aprendizagem deve ser uma jornada constante e que está relacionada à competência de lifelong learning, que é a busca contínua do conhecimento e da aquisição de novas competências para a evolução da empregabilidade. Essa falta de troca e referenciais dos colegas, e um chefe sem interesse em desenvolver todos, me leva à conclusão de que é hora de avaliar outras oportunidades no mercado. Mas antes, recomendo conversar com os colegas sugerindo mais troca. Prepare-se para esse diálogo, pois o foco é totalmente construtivo, mas não deixe de pontuar situações em que eles poderiam ter contribuído mais para enriquecer as reuniões. Reforce a importância do autoconhecimento, pois na medida em que a pessoa se conhece, há chance dela entender quem é, quais são suas fortalezas e limitações, até onde quer ir e o motivo pelo qual faz algumas escolhas. Em paralelo, vá em busca de trocas fora da empresa, participando de grupos e associações da sua área no mercado, se inscreva em eventos, cursos, faça benchmarking com outras companhias. Todas essas ações irão te desenvolver e te dar visibilidade de emprego em outros lugares. Uma coisa é certa para quem quer crescer na profissão: se você for a melhor da mesa em que está, está na mesa errada. Não perca tempo e cuide da sua carreira. Boa sorte. Karin Parodi é fundadora e CEO da Career Center e membro do board da ACFInternational - Association of Career Firms. Especializada em projetos de Carreira e RH. >> Envie sua dúvida de carreira, acompanhada de seu cargo e sua idade, para: [email protected] Esta coluna se propõe a responder questões relativas à carreira e a situações vividas no mundo corporativo. Ela reflete a opinião dos consultores e não a do Valor Econômico. O jornal não se responsabiliza nem pode ser responsabilizado pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso dessas informações.

Amir Labaki: A história de Hollywood contada por quem a fez

Livro com mais de 3 mil transcrições de encontros é um supletivo sobre a evolução coletiva da máquina de sonhos estabelecida na costa oeste dos EUA Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro.

Nova série do criador de ‘Black Mirror’ traz repórter que faz perguntas estúpidas

Em formato de falso documentário, “O Mundo por Philomena Cunk” satiriza nossa época de informações falsas e desinformação Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro.

Como a menopausa virou um negócio lucrativo

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, em 2021, o número de mulheres com mais de 50 anos equivalia a 26% de todas as mulheres do mundo, em comparação com 22% de dez anos antes Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro.

Desancoragem de expectativas de inflação preocupa Copom

Ata reconhece que execução do pacote fiscal pode ajudar Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro.

Juros e câmbio voltam a ser pressionados

Ata do Copom trouxe certo alívio, mas críticas de Lula ao BC pesaram negativamente nos ativos; bolsa recua Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro.

Wall Street respira e avança depois de Powell apenas reiterar discurso

Para analistas, fato de presidente do Fed não ter soado mais agressivo após dados fortes de emprego deu alívio a investidores Os mercados nos Estados Unidos voltaram a responder positivamente a comentários do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Jerome Powell, menos de uma semana depois da coletiva pós-reunião monetária que desencadeou um rali em Wall Street. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro.

RendA+ atrai R$ 60 milhões na primeira semana de negociação

Novo título do Tesouro Direto tem objetivo de complementar aposentadoria dos brasileiros Na primeira semana de negociação, entre os dias 30 de janeiro e 3 de fevereiro, o RendA+, título do Tesouro Direto criado com o objetivo de complementar a aposentadoria, somou R$ 60.032.710,15 em compras liquidadas. O valor se refere a 7.675 CPFs que investiram no papel, média de R$ 7.821,85 por pessoa. Os dados foram antecipados pelo Tesouro ao Valor Investe. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro.

Áreas de Atuação

Linhas de Pesquisa

Portal de Ensino

Projetos

Produção Acadêmica

Entre em contato

Av. Bandeirantes, 3900 - Sala 03
Monte Alegre - CEP 14040-905
Ribeirão Preto - SP / Brasil
FEA-RP / USP

+55 (16) 3602-0503

[email protected]

Mídias sociais

Acesse nossa newsletter: